terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Análise - Undertale

Undertale é um RPG (role playing game) lançado em Setembro de 2015 para PC/Mac no qual você não precisa necessariamente matar nenhum monstro até o fim da sua jornada. Foi esse conceito que conquistou um grande público em uma campanha no Kickstarter, onde o desenvolvedor independente Toby Fox pedia 5.000 dólares para fazer o jogo praticamente sozinho, com pequenas ajudas no conceito e design de personagens. Ao final da campanha, ele havia arrecadado mais de 50.000 dólares.


L. Patrick: Pera pera pera… Então você NÃO mata os bichos que te atacam?
***se fazendo de desentendido que não zerou e ficou 5 dias bitolado pelo jogo.***
Isso...pelo menos não necessariamente. Você ainda tem a opção de matar todos que ousem lhe desafiar! Matar ou poupar um adversário é sempre uma escolha sua! Além de que você pode optar por feri-lo ou conversar com ele para que resolva parar de lutar.
L. Patrick: Então eu posso bater no cara até ele pedir arrego?

Exatamente.

L. Patrick: Credo
Ou você pode lutar até a morte! A escolha sempre é sua!


L. Patrick: Tenso
Enfim, há uma grande liberdade sobre as ações a serem tomadas numa batalha.


A história começa num passado distante, no qual monstros e humanos coexistiam no planeta. Houve então uma grande guerra entre as duas raças e, por serem mais fortes, os humanos acabaram vencendo. Então, os monstros foram condenados ao subterrâneo, onde ficariam aprisionados para sempre.
Muitos anos depois, uma criança cai em uma entrada para o mundo dos monstros. Então, ela passa a viver no subterrâneo à procura de uma saída de volta à superfície.
Mesmo que a princípio o mais chamativo seja a mecânica, possui uma história incrível, ambientação fantástica, personagens extremamente cativantes, trilha sonora sensacional e um magnífico visual em pixel art. Tudo muito bem construído num universo puro e cômico que ao mesmo tempo pode ter reviravoltas surpreendentes nos momentos menos esperados.


Undertale é um jogo certamente bem elaborado. É possível ver o carinho e o detalhismo que o desenvolvedor teve com cada elemento presente na obra. É incrível como tudo se encaixa tão perfeitamente, passando uma imersão que poucos jogos conseguem. Tudo partindo de algo produzido quase que por uma única pessoa.
Agora para a pergunta...

“Devo jogar?”

L. Patrick: Gostos são gostos. Muitas pessoas se apaixonaram e muitas outras não acharam nada de especial. O que diferencia a experiência nesse caso é se você joga apenas para se entreter ou para absorver algo a mais. Undertale é cheio de subtextos que se você não perceber e absorvê-los, pode achar um jogo bobo e se cansar.
Se você..
  • Gosta de RPGs;
  • Sabe apreciar uma boa história;
  • Gosta de um visual retrô;
  • Gosta de buscar finais alternativos.
  • Gosta de piadas infames
Compre sem pensar duas vezes. Custa 20 reais na plataforma Steam. Não vai se arrepender. Vale cada centavo.


L. Patrick : Agora falando sério e uma opinião PESSOAL
Eu nunca tinha jogado algo igual, foi uma experiência que eu não esperava mesmo vendo todo o alvoroço que causou na comunidade. Perceber todos os cuidados no conceito em relação a história, mecânica, design, cada detalhe que contribui para uma imersão completa e todos os elementos em harmonia. Esse jogo conseguiu esse sucessor por trabalhar o Game perfeitamente como um meio de linguagem, sem se prender a qualquer conceito.


Pretende jogar? Já jogou? Comente abaixo!




Murilo / Lucas Patrick

0 comentários :

Postar um comentário